7 de fevereiro de 2009

A Troca


O casal mais afamado de Hollywood já anda a partir a loiça toda. O motivo prende-se com o fruto dos seus trabalhos realizados antes de partirem para outros mundos e seguirem causas mais nobres que o entretenimento da cultura ocidental.
É que se o "Estranho Caso de Benjamin Button", de que ainda não tive oportunidade de falar aqui, do nosso Brad é um dos melhores filmes que vi nos últimos tempos, "A Troca" protagonizado pela sua cônjuge é fraquinho fraquinho...
É só uma opinião de treinador de bancada mas nesta coisa dos filmes quem dita e desdita são precisamente aqueles que ocupam as faustosas, ou não, cadeiras do cinema. E por mim, entreteve sim senhor, passei umas agradáveis 3 horas (!!!) sim senhor, mas não me trouxe muito de novo. Um drama baseado numa história real mas que a na sala de cinema onde assisti surtiu mais risos que emoção.
A tradução não prima de modo algum pela qualidade, com erros técnicos e principalmente falta de naturalidade que é "só" a regra número um da legendagem...
Resumindo, faço minhas as palavras de Mário J. Ferreira: "quando acabamos de ver "A Troca", a sensação que fica é que passamos quase 3 horas sentados a ver um filme correcto, tecnicamente bem realizado, mas sem alma".

1 comentário:

Elsa* disse...

oh...:( É mesmo assim? já não sei se quero ver!


se calhar quero para concordar ou não, com a opinião!!

:)